Segunda-feira, 31 de Outubro de 2011

O FILHO DO DESCONHECIDO – ALAN HOLLINGHURST

 

 

No final do Verão de 1913, nas vésperas da Grande Guerra, o jovem poeta aristocrata Cecil Valance passa um fim-de-semana em «Dois Acres», a casa da família do seu amigo e colega de Cambridge, George Sawle. São dias intensos para todos, mas é em Daphne, irmã de George, que o seu impacto será mais duradouro, pois Cecil escreve-lhe um poema que virá a tornar-se num marco para toda uma geração.

As intimidades partilhadas nesse fim-de-semana vão transcender os limites do tempo e dar origem a um mito – e a um segredo de família – que atravessa o século XX.

No epicentro desta crónica de costumes está Daphne. Seguindo-a desde a inocência da adolescência até à prudência da velhice, Alan Hollinghurst coloca o leitor perante os efeitos inexoráveis da passagem do tempo e as labirínticas construções da memória.

 

Tendo como pano de fundo um século da vida britânica, O Filho do Desconhecido é um retrato envolvente de uma Inglaterra em constante mutação, um romance sobre o poder duradouro do desejo e a forma como o coração cria as suas próprias lendas.

publicado por Miguel Seara às 10:18
link do post | comentar | favorito

O FILHO DO DESCONHECIDO – A CRÍTICA

 

 

“É muito raro lermos um livro com a certeza de que será um dos melhores do ano. Mais raro ainda é apercebermo-nos imediatamente de que o seu impacto perdurará por décadas e décadas. O Filho do Desconhecido é admirável.”

Independent

 

“Num romance cuja acção cobre um longo período de tempo, toda uma era ou sociedade podem ser evocadas com uma única frase. Nesta história, até os personagens menores são descritos de forma brilhante. Um exemplo de excelência na arte do romance.”

Times Literary Supplement

 

Hollinghurst pode, com toda a justeza, ambicionar ser o melhor escritor britânico da actualidade. Ele consegue retratar tão pormenorizadamente a consciência individual quanto as amplas correntes sociais e históricas. Sem dúvida um dos romances do ano.”

Guardian

 

“Comédia de costumes, dissecação de classes, de evolução política e social… os prazeres a que os seus romances já nos habituaram estão, nesta obra, presentes em toda a sua riqueza densa e detalhada. Uma coerência magnífica.”

The Times

 

“Um exercício de realismo de excepcional qualidade: na verdade, parece que estamos a assistir à acção e não a imaginá-la. Capta melhor a passagem do tempo e os seus efeitos e perdas do que tudo o que li até à data. Extraordinário.”

Spectator

publicado por Miguel Seara às 10:17
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 27 de Outubro de 2011

ALAN HOLLINGHURST NO PROGRAMA MEET THE AUTHOR DA BBC

publicado por Miguel Seara às 14:57
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 25 de Outubro de 2011

O FILHO DO DESCONHECIDO – A CRÍTICA DA INTELLIGENT LIFE

publicado por Miguel Seara às 16:01
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 24 de Outubro de 2011

ENTREVISTA DA TIME OUT A TÂNIA GANHO, TRADUTORA DE O FILHO DO DESCONHECIDO

Clique na imagem para ler a entrevista da Time Out à tradutora Tânia Ganho, a propósito da publicação em Portugal de O Filho do Desconhecido, de Alan Hollinghurst.

publicado por Miguel Seara às 14:40
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 21 de Outubro de 2011

O FILHO DO DESCONHECIDO – CINCO ESTRELAS NO PÚBLICO

Clique nas imagens para ler a crítica de Helena Vasconcelos, a O Filho do Desconhecido, de Alan Hollinghurst, publicada hoje no suplemento Ípsilon, do Público.

publicado por Miguel Seara às 11:02
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 18 de Outubro de 2011

ALAN HOLLINGHURST FALA DE O FILHO DO DESCONHECIDO

publicado por Miguel Seara às 11:38
link do post | comentar | favorito

ALAN HOLLINGHURST LÊ O FILHO DO DESCONHECIDO

publicado por Miguel Seara às 11:37
link do post | comentar | favorito

ALAN HOLLINGHURST


Alan Hollinghurst nasceu em Shroud, Inglaterra, em 1954, e estudou em Oxford. O seu primeiro romance, A Biblioteca da Piscina, foi uma das mais aclamadas estreias dos anos 80, conquistando o Somerset Maugham Award em 1989 e valendo ao seu autor um lugar entre os Melhores Jovens Romancistas Britânicos, segundo a revista Granta, em 1993. Seguiu-se The Folding Star, que foi, em 1994, finalista do Booker Prize e venceu o James Tait Black Memorial Prize. A sua consagração definitiva deu-se em 2004, quando A Linha da Beleza foi galardoado com o Man Booker Prize, tendo ainda sido adaptado para a televisão pela BBC.  Foi também considerado pelo Público como um dos melhores romances da década. O Filho do Desconhecido é o seu primeiro romance em sete anos e está já a ser aclamado como um dos melhores livros do ano e da década, cimentando a reputação do autor como um dos nomes cimeiros da literatura anglo-saxónica. Foi nomeado para o Man Booker Prize 2011 e venceu o Galaxy National Book Award 2011, na categoria Autor do Ano, e o 2011 Stonewall Award, na categoria Escritor do Ano.

publicado por Miguel Seara às 11:00
link do post | comentar | favorito

pesquisar

Descarregue o presskit de O Filho do Desconhecido

tags

a biblioteca da piscina

a linha da beleza

alan hollinghurst

alan hollinghurst em portugal

amy waldman

bbc

biografia

câmara clara

críticas

diário de notícias

diário digital

diário económico

entrevistas

esquire

excertos

expresso

financial times

i

intelligent life

o filho do desconhecido

os meus livros

prémios

público

rtp informação

rtp2

sábado

sic notícias

sinopse

sinopses

sol

tânia ganho

the daily telegraph

the guardian

the new york times

the submission

the sunday telegraph

time out

vídeos

visão

todas as tags

subscrever feeds